Caio Fernando Abreu

Caio Fernando Abreu

Caio Fernando Loureiro de Abreu foi um dramaturgo, jornalista e escritor brasileiro. Apontado como um dos expoentes de sua geração, a obra de Caio Fernando Abreu, escrita num estilo econômico e bem pessoal, fala de medo, morte, sexo, e, principalmente, da solidão.

Principais Poesias de Caio Fernando Abreu

Carta

Porto, 22 de dezembro de 1979 Zézim, cheguei hoje de tardezinha da praia, fiquei lá uns cinco dias, completamente só (ótimo!), e encontrei tua

Leia a Poesia »

Frases

“Ficam intimados os humanos a interromper as dores, a esquecer as mágoas, a adiar as dívidas, a perdoar os outros…” * “Uma farsa, essa

Leia a Poesia »

Biografia

Caio Fernando Abreu estudou letras e artes cênicas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mas abandonou ambos os cursos para trabalhar como jornalista de revistas de entretenimento, tais como NovaMancheteVeja e Pop, além de colaborar com os jornais O Estado de S. Paulo, Correio do PovoZero Hora e Folha de S.Paulo.

Seu primeiro romance, Limite branco (1970) possuia marcas que iriam acompanhar sua tragetória: a angústia diante do devir e a morte como certeza no final da jornada. Segundo sua perspectiva literária, a vida deve ser buscada continuamente.

Caio Fernando Abreu viveu intensamente a época da ditadura. Em suas obras literárias, o autor buscava inspiração em momentos importantes de sua vida, fazia uma releitura rápida, porém despercebida de seu modo de pensar, a maioria de suas criações e personagens retratavam um modo cinzento e triste de viver, na busca inquietante pela felicidade.