Augusto dos Anjos

Augusto dos Anjos

Augusto dos Anjos

Augusto de Carvalho Rodriguez dos Anjos é um poeta brasileiro, geralmente considerado um simbolista ou panason. No entanto, muitos críticos, como o poeta Ferreira Gullar, preferem identificá-lo como pré-modernista, porque descobrimos claramente as características do expressionismo em sua poesia.
Augusto dos Anjos

Principais Poesias de Augusto dos Anjos

Vencedor

Toma as espadas rútilas, guerreiro, E á rutilância das espadas, toma A adaga de aço, o gládio de aço, e doma Meu coração –

Leia a Poesia »

Soneto

A Frederico Nietzsche Para que nesta vida o espírito esfalfaste Em vãs meditações, homem meditabundo? – Escalpelaste todo o cadáver do mundo E, por

Leia a Poesia »

Soneto

Aurora morta, foge! Eu busco a virgem loura Que fugiu-me do peito ao teu clarão de morte E Ela era a minha estrela, o

Leia a Poesia »

Trevas

Haverá, por hipótese, nas geenas Luz bastante fulmínea que transforme Dentro da noite cavernosa e enorme Minhas trevas anímicas serenas?! Raio horrendo haverá que

Leia a Poesia »

Budismo Moderno

Tome, Dr., esta tesoura e… corte Minha singularíssima pessoa. Que importa a mim que a bicharia roa Todo o meu coração depois da morte?!

Leia a Poesia »

Biografia

Augusto de Carvalho Rodriguez dos Anjos (Sapé, 20 de abril de 1884 – Leopoldina, 12 de novembro de 1914) é um poeta brasileiro, frequentemente considerado um simbolista ou panason. No entanto, muitos críticos, como o poeta Ferreira Gullar, preferem identificá-lo como pré-modernista, porque descobrimos claramente as características do expressionismo em sua poesia. Ele é amplamente considerado um dos poetas mais críticos de sua época, com críticas ao idealismo egocêntrico que surgiu em sua época, e até hoje suas obras são admiradas por amadores e críticos literários.