Adélia Prado Poetisa

Adélia Prado

Adélia Prado

Adélia Luzia Prado de Freitas é uma poetisa, professora, filósofa e contista brasileira ligada ao Modernismo. Nascida em Divinópolis, no estado de Minas Gerais, no dia 13 de dezembro de 1935.
Adélia Prado Poetisa

Principais Poesias de Adélia Prado

Antes do nome

Não me importa a palavra, esta corriqueira. Quero é o esplêndido caos de onde emerge a sintaxe, os sítios escuros onde nasce o “de”,

Leia a Poesia »

Casamento

Há mulheres que dizem: Meu marido, se quiser pescar, pesque, mas que limpe os peixes. Eu não. A qualquer hora da noite me levanto,

Leia a Poesia »

Impressionista

Uma ocasião, meu pai pintou a casa toda de alaranjado brilhante. Por muito tempo moramos numa casa, como ele mesmo dizia, constantemente amanhecendo.

Leia a Poesia »

Com licença poética

Quando nasci um anjo esbelto, desses que tocam trombeta, anunciou: vai carregar bandeira. Cargo muito pesado pra mulher, esta espécie ainda envergonhada. Aceito os

Leia a Poesia »

Adélia Luzia Prado de Freitas, conhecida como Adilla Prado, é uma pessoa associada ao modernismo. Poeta, professora, filósofa e contista brasileira.

Seu trabalho é guiado pela fé cristã e uma das características de seu estilo único – a expressão lúdica penetra na confusão e no encanto da vida cotidiana. Em 1976, ela enviou o manuscrito de Bagagem para Affonso Romano de Sant’Anna, que assinou a coluna de crítica literária do Brazilian Times. Admirado, entregou o manuscrito a Carlos Drummond de Andrade e incentivou a revista a publicar a Editora Imago em um artigo da mesma revista.

Ela é uma professora treinada que trabalhou como professora por 24 anos, até que sua carreira de escritora se tornou a atividade principal. No que diz respeito à literatura brasileira, considerando a integração de Adélia do papel de intelectuais e mães, esposas e donas de casa, o surgimento de escritores representa a reavaliação das mulheres em letras e seu pensamento.