Soneto do Corifeu

(da peça Orfeu da Conceição)

São demais os perigos desta vida
Pra quem tem paixão, principalmente
Quando uma lua chega de repente
E se deixa no céu, como esquecida

E se ao luar que atua desvairado
Vem se unir uma música qualquer
Aí então é preciso ter cuidado
Porque deve andar perto uma mulher

Deve andar perto uma mulher que é feita
De música, luar e sentimento
E que a vida não quer de tão perfeita

Uma mulher que é como a própria lua:
Tão linda que só espalha sofrimento
Tão cheia de pudor que vive nua

(Este poema apareceu pela primeira vez na peça Orfeu da Conceição. É a primeira fala, e quem a diz é o Corifeu. Daí, quando recolheu este texto no seu Livro de sonetos, Vinícius deu a ele o título “Soneto do Corifeu”. Mais tarde, o poema foi musicado por Toquinho, e ganhou o título “São demais os perigos desta vida”, que deu nome ao disco homônimo (1972) da dupla Vinicius e Toquinho. Fonte: Site Oficial)

Outras poesias do mesmo autor(a):

O Rio

Uma gota de chuva A mais, e o ventre grávido Estremeceu, da terra. Através de antigos Sedimentos, rochas Ignoradas, ouro Carvão, ferro e mármore

Leia a Poesia »

A Rosa de Hiroxima

Pensem nas crianças Mudas telepáticas Pensem nas meninas Cegas inexatas Pensem nas mulheres Rotas alteradas Pensem nas feridas Como rosas cálidas Mas oh não

Leia a Poesia »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *