A dor é uma coisa estranha.
Um gato que mata um pássaro,
um acidente de automóvel,
um incêndio…

A dor chega,
BANG,
e eis que ela te atinge.

É real.

E aos olhos de qualquer pessoa pareces um estúpido.
Como se te tornasses, de repente, num idiota.

E não há cura para isso,
a menos que encontres alguém
que compreenda realmente o que sentes
e te saiba ajudar

Outras poesias do mesmo autor(a):

*

apenas os jovens estão na praia. eu tenho um corpo bom para a minha idade pescoço e peito de touro e poderosas pernas. mas

Leia a Poesia »

*

um bom poema é como uma cerveja gelada quando você está mais a fim, um bom poema é um sanduíche de presunto, quando você

Leia a Poesia »

*

Tudo o que era mau atraía-me: gostava de beber, era preguiçoso, não defendia nenhum deus, nenhuma, opinião política, nenhuma ideia, nenhum ideal. Eu estava

Leia a Poesia »

A Índole da Multidão

(Traduzido por Clarah Averbuck) Há suficiente traição, ódio, violência, Absurdo no ser humano comum Para abastecer qualquer exército a qualquer momento. E Os Melhores

Leia a Poesia »

*

Sentia-me contente por não estar apaixonado, por não estar contente com o mundo. Gosto de estar em desacordo com tudo. As pessoas apaixonadas tornam-se

Leia a Poesia »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *