Ludmila Rodrigues

velório – Ludmila Rodrigues

tragam-me caixão e velas
enfeitem com flores de cor carmim
o quintal, o jardim
cavem a terra, cavem bem fundo
:
meu rancor morreu
e há de descansar em paz





Brigitte Bardot

eu ainda tinha cara de menina
e me disseste que, nua na cama
eu parecia atriz de cinema
que era estonteante, absurda de tão linda
por que me disseste, querido?
agora, o tempo passou
engrossou e amargurou
envelheceu o que era frescore a atriz de cinema
não me deixa dormir em paz
.


qualquer coisa de outro mundo

você conhece alguém
ele é perfeito
perfeito pra você
ele é tudo que você queria
é até tudo que você queria ser
vocês juntos exalam sexo
e só de ver o jeito dele
debochado, tão sem pudor
revolucionário e cheio de liberdade
você vê transas transcendentes
e qualquer coisa de outro mundo
vocês marcam um café
e terminam na cama: tão frustradosna vitrola, Caetano,
desde a passada noite,
repete, de tempos em tempos:não sou proveito, sou pura fama
.



arrependimento

naquele dia, eu devia ter chorado
desembarquei e você me esperava de pé
uma rosa linda, viva, fresca, vermelha
tremulava em suas mãos brancas, tão doces
eu tive vontade, mas não chorei
soubesse que aquilo só acontece uma vez na vida
teria caído em prantos
.

à venda
e, então, o casal veio
gostou do apartamento
disse que ia ficar com ele
e ficou
à tarde, eu tomava um café
na minha nova sala vazia
e lembrava daquela gente insossa
apropriando-se, assim, tão friamente
do lugar que meu coração
insistia em chamar de seu
.

8 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *