Fernanda Sabrina Siqueira Campos

PRA ONDE VAI TANTA CORAGEM? – Fernanda Sabrina Siqueira Campos

Guardo dentro do peito
uma revolução contida
Vontade reprimida
de romper o sistema
viver do próprio lema
de só falhar pelo exagero
e viver cada dia
com muito mais emoção

E guardo aqui no peito
uma coragem infinda
de enfrentar os mais temidos
Pichar ideais em muro
fazer visível o que há de errado
Nesses valores em inversão

Mas fica tão bem guardado
que quando procuro não acho
e toda minha valentia
se perde em imaginação.

( Fernanda Sabrina Siqueira Campos)

imagem

ENROLADA

Oh Deus como sou parecida com meu cabelo
Atrapalhada, desengonçada e sempre tão enrolada.
Tantas coisas pra fazer que eu já deveria ter feito…

E o volume só aumentando em minha cabeça
Embaralhando-se cada vez mais
Misturando-se com meus planos e pensamentos…
Preciso de um dia com mais horas
Para poder me organizar.

( Fernanda Sabrina Siqueira Campos)

Desenho Priscila Tonon

METRÔ

Na rotina de passos sincronizados
Correria sistemática
Puro automatismo nos passos
Entro no trem…

Todos parecem pensar na vida aqui dentro
Um jovem deixa o fone de ouvido cair
Nirvana às sete e meia da manhã.

Escolho um estranho e fantasio sua vida
Hoje será aquele com barbas grisalhas
Três filhos, a mais nova tem dezesseis
Já foi melhor de vida
Tinha um bom emprego e uma mulher
Não tem mais.

( Fernanda Sabrina Siqueira Campos)
10/2010

(imagem de netinho maia)

Leia mais versos de visitantes

7 respostas

  1. Oi, Fernanda. Antes de ler tuas poesias, fiquei pensando como seriam, em vista do “peso” – no bom sentido – do teu sobrenome. E ví, com alegre surpresa, que mesclas grandes sonhos com um passear despretencioso pelo caos urbano, sem respostas, em que vivemos… Fica leve e ao mesmo tempo nos faz pensar nas inúmeras nuances do Ser… Gostei! Bjs, Eleonora.

    1. Oi Eleonora. Nunca ninguém analisou tão profundamente meus poemas assim. Fiquei imensamente honrada com sua palavras. Estou muito feliz em saber que meus singelos poemas disperta todas essas sensações em você.
      Abraços

  2. Oi, Fábio! Descobri agora seu site e seu blog e estou encantada!
    Parabéns!
    Há aproximadamente dois anos, me aventurei neste maravilhoso universo. Quero dizer, me auto-denomino poeta (não gosto de “poetisa”, penso ser esta designação um pouco frágil). Enfim… Através do site http://www.bookladeira.wordpress.com, você pode curtir e ficar à vontade, caso queira “enriquecer” a página “Versos de Visitantes” (como sou convencida, rsrs). Faz tempo que não publico no meu blog. Seus versos estão me inspirando!
    Mais uma vez, parabéns!!!!

  3. Gostei dos dizeres, parecem reflexões sinestesicas de momentos aleatórios do dia. Os temas não são exclusivos do narrador, mas discursa bastante de forma descritiva o ambiente em que se encontra.

    Parabéns pela sensibilidade das palavras e a forma desprendida debse expressar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *