Fernanda Farias

Amor – Fernanda Farias

Como falar de outra coisa senão o amor?

Se é disso que meu coração está cheio…

Desde os mais remotos tempos,

a mente dos poetas é assolada pelo vulto, muitas vezes distorcido, do amor.

Para Camões era o fogo que ardia e que não se via

Para Fernando Pessoa era a eterna inocência

Para Vinícius é eterno enquanto dura

Para Drummond é estado de graça

Mas o que é o amor?

O que é isso que me alegra em um segundo,

e no outro me lança à mais profunda escuridão.

Não sei e fico sem saber…

Melhor assim…

Antes não saber e senti-lo!

(Fernanda Farias)

*

Engano

E se esqueceram de avisar que não sou de ferro, só resolvida…

Que não sou fútil, só alegre…

Que não sou perfeita, só humana…

Que não sou articulada, só espontânea…

Que não sou feliz, só tento…

(Fernanda Farias)

*

Paradoxal

E assim sou…

Docemente amarga

Amargamente melosa

Suavemente dura

Pesadamente suave

Constantemente intensa

Intensamente constante

Submissamente autoritária

Independentemente dependente

E assim sigo… e volto…

Paradoxalmente fiel a novas verdades, sem nunca abandonar as verdades eternas…

(Fernanda Farias)

Leia outros versos de visitantes

6 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *