A luta amorosa com as palavras – Quintana

A luta amorosa com as palavras
(texto escrito pelo poeta para a revista “Isto É” de 14/11/1984)

Nasci em Alegrete, em 30 de julho de 1906. Creio que foi a principal coisa que me aconteceu. E agora pedem-me que fale sobre mim mesmo. Bem! eu sempre achei que toda confissão não transfigurada pela arte é indecente. Minha vida está nos meus poemas, meus poemas são eu mesmo, nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma confissão. Há! Mas o que querem são detalhes, cruezas, fofocas… Aí vai! Estou com 78 anos, mas sem idade. Idades só há duas: ou se está vivo ou morto. Neste último caso é idade demais, pois foi-nos prometida a eternidade.

Nasci do rigor do inverno, temperatura: 1 grau; e ainda por cima prematuramente, o que me deixava meio complexado, pois achava que não estava pronto. Até que um dia descobri que alguém tão completo como Winston Churchill nascera prematuro – o mesmo tendo acontecido a Sir Isaac Newton! Excusez du peu.

Prefiro citar a opinião dos outros sobre mim. Dizem que sou modesto. Pelo contrário, sou tão orgulhoso que nunca acho que escrevi algo à minha altura. Porque poesia é insatisfação, um anseio de auto-superação. Um poeta satisfeito não satisfaz. Dizem que sou tímido. Nada disso! Sou é caladão, introspectivo. Não sei por que sujeitam os introvertidos a tratamentos. Só por não poderem ser chatos como os outros ?

Exatamente por execrar a chatice, a longuidão, é que eu adoro a síntese. Outro elemento da poesia é a busca da forma (não da fôrma), a dosagem das palavras. Talvez concorra para esse meu cuidado o fato de ter sido prático de farmácia durante 5 anos. Note-se que é o mesmo caso de Carlos Drummond de Andrade, de Alberto de Oliveira, de Erico Veríssimo – que bem sabem (ou souberam), o que é a luta amorosa com as palavras.

Mario Quintana )

0 resposta

  1. Oi Fábio quanto tempo não entro aqui, mas quero dizer, que adoro seus artigos, mensagens, poesias e tudo mais. sobre o Mário eu fiquei conhecendo um pouco mais,rsrrsr obrigada, beijos.

  2. Fábio, estou adorando o seu site. Nem sei como…mas o site A Magia da Poesia entrou na minha vida….e agora….estou amando…ler…ver….e quem sabe um dia…escrever. Por enquanto estou me deliciando com a forma mais bela de falar da vida e dos sentimentos. Grande abraço.

  3. Adorei Fábio, essa auto-biografia de Quintana… resume em poucas palavras o que é fazer “Poesia”, segundo ele: A luta amorosa com as palavras… Na minha, opinião concordo , podemos dizer muito em poucas palavras e nada em muitas…

  4. Fábio, estou adorando o seu site. Nem sei como…mas o site A Magia da Poesia entrou na minha vida….e agora….estou amando…ler…
    ver….e quem sabe um dia…escrever. Por enquanto estou me deliciando com a forma mais bela de falar da vida e dos sentimentos.
    Os textos, poemas e tudo o que você publica é de um cuidado admirável. Estou tendo oportunidade de ler o que não me foi permitido
    e agradeço a você e a essa ferramenta de comunicação maravilhosa. Grande abraço. Nelma Braz

  5. Adoro a síntese como Quintana
    Se não digo tudo com poucas palavras
    É como se eu não dissesse nada
    O que passa daí são falácias
    Ou me faço entender com pouco
    Ou nada digo com o muito
    Sou econômico nas frases
    Frases curtas satisfazem
    Porque se não sei dizer com o pouco
    Então que raios de poeta eu sou ?
    Ora, já me alonguei demais
    Agora já não falo mais
    Porque além disso é mero lixo.
    Oseas 12/01/2013.

    1. FIQUEI SURPRESO, ENVAIDECIDO ATÉ, COM A MENÇÃO A UMA POESIA DE MINHA AUTORIA. ADORO POESIAS, MAS NÃO ENTENDO MUITO DE MODERNIDADES. SOU UMA ESPÉCIE DE ROMÂNTICO MEIO FORA DO TEMPO. NO ENTANTO, ACHO QUE A POESIA NÃO DEVE TER AMARRAS. ABRAÇOS.

  6. Pretendo conhecer melhor a obra de Mário Quintana. Mas, a priori, digo que ela certamente há de me encantar. Adoro poesia, não somente a expressa na literatura, mas também aquela com que a natureza nos brinda quotidianamente. Se tivesse que conceituá-la, eu diria que a poesia é a versão da alma sobre os diversos modos do sentir humano.

  7. Em um tempo em que não se sabe o que é de quem, com as pessoas inescrupulosamente se apossando das obras, ou de simples reflexões, de outrém, acho fantástica essa sua iniciativa. Parabéns pela lisura, pelo hercúleo trabalho e, principalmente, pela luz lançada. Talvez estejamos, aquí, testemunhando o início da mudança de consciência e, convenhamos, o usupar-se do sentimento alheio é vergonhoso, pois mais cedo ou mais tarde evidenciar-se-á a real autoria. Conte comigo para dar sequência a esse magnífico trabalho. Um abraço!

  8. Que show esse site. Sempre gostei de poemas, mas nunca tive a oportunidade de ver eles assim reunidos, estou amando. Obrigada rapaz! Só tem fera aqui, muito top top hehehe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *