Percalços da Posteridade – Quintana

Percalços da Posteridade

O mais irritante em nos transformarem um dia em estátuas é que a gente não pode coçar-se.

Mario Quintana )
(Poema do livro “Da preguiça como método de trabalho”, retirado por mim mesmo, do livro Poesia Completa – Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2005, p. 687)

0 resposta

  1. PESSOA no CHIADO

    sentado
    só na aparência sossegado
    perna cruzada
    – a esquerda sobre a direita
    ninguém que se sente
    na cadeira ao lado
    pode suspeitar
    da fervilhante angústia
    que o afeta
    não pela espera
    de que um poema venha
    animar
    a sua alma de poeta
    quiçá pela incerteza
    de saber se OFÉLIA
    sabe
    onde se lembraram
    de construir a sua estátua

    e saberá OFÉLIA
    que a cadeira ao lado
    é para ela?

    a propósito de estátuas

    acabo de escrever

    abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *