O censor – Drummond

O censor olhou-se
no espelho e censurou-o:
Que horror!

Carlos Drummond de Andrade )
(Digitado e conferido por mim mesmo no livro Amar se aprende amando, 22a. edição, Rio de Janeiro: Record, 1999. p. 96)

0 resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *