Gustavo Adolfo Bécquer – Poemas traduzidos

Gustavo Adolfo Bécquer – Poemas Traduzidos

RIMA XLII

Cuando me lo contaron sentí el frío
de una hoja de acero en las entrañas;
me apoyé contra el muro, y un instante
la conciencia perdí de dónde estaba.

Cayó sobre mi espíritu la noche,
en ira y en piedad se anegó el alma.
¡Y entonces comprendí por qué se llora,
y entonces comprendí por qué se mata!

Pasó la nube de dolor…. Con pena
logré balbucear breves palabras…
¿Quién me dio la noticia?… Un fiel amigo…
Me hacía un gran favor… Le di las gracias.

(Gustavo Adolfo Bécquerfonte)

*

RIMA XLII

Quando me contaram, senti o frio
de uma lâmina de aço nas entranhas;
me apoiei no muro e, por um instante,
perdi a consciência de onde estava.

Caiu sobre mim o espírito da noite,
em ira e em piedade se afogou a alma.
E então, entendi porque se chora,
e então, entendi porque se mata!

A nuvem de dor passou… Tristemente
consegui balbuciar breves palavras…
Quem me deu a notícia? Um amigo fiel…
Me fazia um grande favor… Agradeci-lhe.

(Gustavo Adolfo Bécquer – tradução livre de Fabio Rocha)

Gustavo-Adolfo-Becquer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *