Thich Nhat Hanh – Poema sobre a morte – Este corpo não sou eu

Thich Nhat Hanh – Este corpo não sou eu

Este corpo não sou eu; Eu não estou apegado a este corpo,
Eu sou vida sem limites,
Eu nunca cheguei a nascer e eu nunca cheguei a morrer.
Logo ali, o vasto oceano e o céu com muitas galáxias
Todas se manifestam a partir da consciência primordial.
Desde o tempo sem início eu sempre fui livre.
Nascimento e morte são apenas uma porta por onde nós entramos e saímos.
Nascimento e morte são apenas um jogo de esconde-esconde.
Então sorria para mim e pegue a minha mão e me dê adeus.
Amanhã devemos nos encontrar novamente, ou mesmo antes.
Nós devemos sempre nos encontrar novamente na verdadeira fonte,
Sempre nos reencontrando na miríade de caminhos da vida.

Thich Nhat Hanh – Poema de No Death, No Fear: comforting wisdom for live. Riverhead Books, New York: 2002. p. 186)

* Texto original:

This body is not me; I am not caught in this body,
I am life without boundaries,
I have never been born and I have never died.
Over there the wide ocean and the sky with many galaxies
All manifests from the basis of consciousness.
Since beginningless time I have always been free.
Birth and death are only a door through which we go in and out.
Birth and death are only a game of hide-and-seek.
So smile to me and take my hand and wave good-bye.
Tomorrow we shall meet again or even before.
We shall always be meeting again at the true source,
Always meeting again on the myriad paths of life.

( Thich Nhat Hanh – No Death, No Fear: comforting wisdom for live. Riverhead Books, New York: 2002. p. 186)

poema-sobre-morte-thich-nhat-hanh
( Thich Nhat Hanh – No Death, No Fear: comforting wisdom for live. Riverhead Books, New York: 2002. p. 186)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *