Adriane Garcia – Poemas

Adriane Garcia – Poemas

AFOGAMENTO

Há um desejo
De imersão das águas
Adentrando narinas

Um treinamento
Pelo não desespero de
Afogar-se

Desejo da palavra aquática
Da palavra amniótica
Da palavra silenciosa
Dos peixes

Não um coração batendo
Que os assuste.

( Adriane Garcia )
(em “Só, com peixes”. Rio de Janeiro: Confraria do Vento, 2015. p. 16)*

*

A ORIGEM DA ÁGUA

Dizem que os peixes não têm
Expressão

Os peixes estão todos
Tristes

Trafegam a água
De cá para lá
De lá para cá
No constante de
Carregar o mundo

Sem os peixes
Tão tristes
As correntes
Cessariam

Ninguém se pergunta
De onde vem a água?
Ninguém desconfia
Que os peixes choram?

Adriane Garcia )
(em “Só, com peixes”. Rio de Janeiro: Confraria do Vento, 2015. p. 19)*

*Publicado com autorização da autora, conheça seu perfil no facebook. Sugestão de textos e fotos de Laiane Teles. Revisão e digitação de Fabio Rocha.

Adriane Garcia
Adriane Garcia

0 resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *