Porque poesia não vende

Porque poesia não vende

(Postado originalmente em 18 de junho de 2012.) 

É um círculo vicioso:

  • O Brasil produz leitores “de menos”, em relação à sua produção editorial. Logo, o problema aqui é de leitura em geral, mas piorado em relação a textos mais complexos;
  • Temos mais editoras que livrarias, logo, mais livros do que lugar para vendê-los;
  • As poucas livrarias escondem a seção de poesia (conforme foto abaixo), justamente por vender pouco, mantendo o círculo vicioso.

Veja a foto que tirei na FNAC do Barra Shopping, após ter que perguntar a um atendente onde ficava a parte de poesia, por não conseguir achá-la sozinho. A altura da prateleira fazia o leitor interessado em poesia rastejar (a mais perto do chão era a de poesia). 🙂

Isso, a meu ver, agrava o  de fato de os sites mais visitados sobre poesia serem um lixo. O Google dominou a internet e simplesmente não consegue selecionar direito sites com conteúdo relevante e sem erros para as primeiras posições das keywords mais procuradas desse universo: poesia, poesias, poemas, versos etc. Assim, quem busca por poesia recebe dos sites de busca um tratamento ainda pior do que nas livrarias: textos alterados e falsas autorias. Isso me estimula a seguir trabalhando na Magia da Poesia com cuidado cada vez maior. Muita gente descobre diversos poetas e a própria poesia através desse site!

OBS.: Se você é escritor, principalmente se for poeta, recomendo acabar com alguns dos intermediários entre você e seus leitores fazendo um blog ou site. O blogger acho o menos complicado pra se começar. Outras dicas nesse post.

OBS. 2: Em 2013, o livro com a obra completa do Leminski ultrapassou até o “50 tons de cinza” nas listas de “mais vendidos”, mostrando que poesia boa vende sim! Basta sair das prateleiras escondidas, com uma editora com boa distribuição que invista em uma boa campanha de Marketing.

OBS. 3: Em 2014 lancei outro livro com meus melhores poemas dos últimos 10 anos, pela editora Patuá. Para saber mais, clique aqui. Ajude poesia a vender comprando um exemplar online (sem sofrimento nas livrarias). 😉

0 resposta

  1. É lamentável mesmo, Fábio e muito real, quando procuro por poesia ou poemas no google logo aparecem sites e páginas com informações prá lá de duvidosas.
    O brasileiro não gosta de literatura, como poderia gostar de poesia?

  2. Verdade lamentável, e nas livrarias dos shoppings do subúrbio do Rio é ainda pior alem de escondidos há poucos títulos e quase nenhum clássico. Por sorte semana passada consegui achar uma antologia do Manoel de Barros perdida entre meia dúzia de títulos (para presentear uma amante de livros de papel como eu) em uma livraria famosa cheia de livros de auto-ajuda e "Best-Sellers " da moda.

    1. Sim, concordo mas tem mais. Poesia requer sensibilidade, cultura (diga-se vocabulário) maior para que seja entendida, hábito e vai por aí. Nosso povo não está preparado para tal. Quando muito, lê uma ou outra coisinha. Nem sei dizer o quê! Vejo aqui no Face, pessoas citando, por exemplo, Clarice Lispector e, tenho certeza, de que NUNCA leram um livro dela e nem sabem quem ela foi. Eu penso assim!

  3. Outrossim, acho que poderia acrescentar, ao fato da poesia ser como uma árvore: Para crescer bela e saudável, precisaria ser regada todos os dias. Em-si, diria que a poesia necessitaria entrar no quotidiano… tornar-se uma citação, uma inspiração…; Para-si, vejo que a poesia perdeu terreno para as letras, que musicalizadas, chamam bem mais a atenção. Daí a importância da criação de saraus, de grupos de discussão, fomento de novos (e velhos) poetas. Por acaso, em algum dia, qualquer um daqui, se reuniu a um grupo ou, com amigos, ou professores leu ou ouviu ou declamou alguma poesia? Sem imposição escolar, mas apenas por interesse?

  4. ótimo, Fábio Rocha! eu tenho lá meus blogs, compartilho poesia em casa e com amigos, também insisto em submeter meus originais de poesia para as editoras. por que poesia? porque não é possível transpor sem ela…

  5. Vou à FENAC assim que acabar essa loucura da Rio+20.Atualmente,não se consegue chegar à Barra.Diferentemente de vc,meu caro poeta,eu me sentarei no chão e retirarei TODOS os livros das prateleiras.Vou ver um por um.E,torço pra que alguém venha reclamar!!! Um abração!

  6. Brasileiro é um povo romântico por natureza, somos capazes de criar as mais belas poesias, o fato é que a política não deixa acontecer a boa educação barrando o incentivo de leituras aos jovens que ainda estão em aprendizado.

  7. Poesia requer imaginação, contemplação, transformação… além do que a sede poética do povão é aplacada com versos do tipo "…eu quero tchu…eu quero tcha…", é triste. Infelizmente, nosso povo sem educação, sem cultura e sem escola não tem paladar para saborear os melhores vinhos e os melhores versos… Todos temos sede poética, mas 99% da população mata a sede cantando os versos chulos das rádios… O governo não se esforça em divulgar a poesia culta. Há iniciativas boas, como a do governo de Porto Alegre, que coloca poemas em ônibus, mas são poucas. Nesse mundo de imediatismo, precisamos nos unir e rebater com muita trova. Não podemos recuar; ao contrário, devemos segurar ainda mais forte o estandarte da poesia culta. Defendo uma educação poética a partir do mais culto e curto poema – a trova. Vamos espalhar Camões pelos ônibus, trens, metrôs e pela internet. Toquem suas liras trovadores!! Abçs

  8. Muito bom este trabalho do poeta e escritor carioca, no sentido de resgatar os verdadeiros autores de textos puiblicados na Internet . A maioria da população de nosso país pouco ou nada lê. E há até os que não leem nem bilhete premiado da Loteria. A situação está só se agravando com a popularização das redes sociais na Web

  9. Caro amigos se não fosse pelo prazer e “necessidade espiritual” (kkk) de se escrever, tudo estaria perdido, nada seria feito. Os “ladrões de alma” ou os “vampiros dos poetas” (plagiadores) multiplicam-se, as vezes dá vontade de desistir, hoje mesmo encontrei 13 poesias minhas plagiadas. Na verdade a proliferação dos falsos poetas é absurda.

  10. Acredito que o problema maior é de EDUCAÇÃO! Não somos preparados para gostar de ler. Quem se lembra de ter estudado poesia na infância??? Falta-nos a cultura. O resto é consequência. O que se vende muito é auto ajuda. A poesia, continua sendo para poucos.

  11. Também tem aí uma questão de convencimento… um pouco do problema reside no fato de que muito raramente os bons poetas nascentes tem visão mercadológica, e eu me incluo no meio deles (por enquanto). É preciso fazer com que as pessoas acreditem que poesia é uma coisa que merece ser buscada, e não é na educação formal que isso ocorre. Tem a ver com os artistas se ajudarem, tem a ver com parar de querer dinheiro do governo pra tudo o que se faz no âmbito da cultura… achei um barato a iniciativa desse site.

  12. Pior é que, como as chances de se publicar um livro de poemas são muito poucas, existem vários sites que exploram os poetas: eles publicam de graça, mas só eles ganham, através de anúncios, não pagam direitos autorais pra ninguém. E eles tem publicados milhões de poemas, contos, artigos etc. Acho degradante publicar nesses sites. Ninguém deveria publicar nessas empresas parasitas. João

  13. sou amante de poesia moro na França e desejo ter amigos poetas no brasil
    anabr60@hotmail.fr
    acho que poésia não vende pois vivemos em um mundo sem valor sentimental
    falta de vontade de viver sem reflexão para a maioria das pessoas que não apreciam arte

  14. Não sei quantos anos eu perdi escrevendo poesia moderna, ou seja, escrevendo um monte de bobagens que ninguém entende, e, consequentemente, ninguém compra ou lê. Arrependo-me profundamente de ter entrado nessa, por causa de vários concursos mixos de poesia que ganhei. Só perdi meu tempo atrás dessa estranha arte, que, segundo os críticos, se o poema dá pra entender não é bom.

  15. Poesia não vende….a arte da sensibilidade não tem preço…é verdade que a poesia não é um atrativo literario nacional. Não há incentivo a isso, nossa cultura ainda caminha sob as nevoas da ignorancia, a luz intelectual é uma virtude rara…
    Abraços a todos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *