O Berço e o Terremoto – Mario Quintana

O Berço e o Terremoto – Mario Quintana

Os versos, em geral, são versos de embalar, como eu às vezes os tenho feito, não sei se por simples complacência… ou pura piedade.

Contudo, os verdadeiros versos não são para embalar – mas para abalar.

Mesmo a mais simples canção, quando a canta um García Lorca, desperta-te a alma para um mundo de espanto.

Mario Quintana )
(Poema conferido e digitado por mim mesmo, do livro Caderno H, retirado de Poesia Completa – Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2005, p. 334)

0 resposta

  1. Quintana! Maravilhoso!!!
    Amo sua poesia!!!!
    Obrigada Fábio por enfeitar tanto nossa caixa de e-mail com obras tão lindas!
    A Magia da Poesia só enriquece e alegra o nosso dia a dia!
    Quando abro meu e-mail e vejo suas postagens, fico imensamente feliz!!!
    Tem pessoas que são tão especiais que vivem para fazer a vida dos seus semelhantes mais felizes!
    Abraço da leitora Lucia Helena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *