Falsas Autorias – Falsa Autoria – Autoria Errada – Autoria Trocada – Atribuição Trocada – Texto Apócrifo

Falsas Autorias – são textos que circulam na rede como se fossem de um autor, mas não são. Também conhecidas como autoria errada, autoria trocada, atribuição trocada ou texto apócrifo.

Colabore com esta campanha contra as falsas autorias e pela melhora da qualidade das informações encontradas na internet! Compartilhe este post com seus amigos!

Este fenômeno é facilmente percebido no mundo virtual, tanto em sites do tipo do Pensador quanto em redes sociais. Abaixo, colocamos alguns exemplos de falsas autorias bastante disseminadas:

Mais reportagens e posts sobre falsas autorias:

Como acontece?

Não dá pra saber com certeza como se inicia. As pessoas alteram por engano ou má-fé a autoria de textos que se espalham pelas redes sociais, e-mails ou até mesmo alguns sites.

E você muito possivelmente participa disso, se não confere em um livro, acreditando na autenticidade do texto, e o compartilha.

Malefícios

Espalhar um texto errado ou com autoria trocada é um total desrespeito ao autor, ao leitor e ao nosso patrimônio cultural. Piorado porque tudo na internet tem grande capacidade de se espalhar e em muito pouco tempo… Uma falsa autoria pode se espalhar de modo viral pela rede e dar informação errada a milhões de pessoas.

Para piorar, cada vez mais gente tem seu primeiro contato com textos de grandes autores através de textos errados na internet, pois se passa mais tempo no facebook do que lendo livros.

Soluções

É muito importante conscientizar mais e mais pessoas a pensar antes de compartilhar, conferir em livros e deixar as referências bibliográficas para não repassar informação errada e arte falsificada.

Outra solução que achamos na internet é compartilhar apenas fotos dos textos nos livros, sem esquecer de mostrar a autoria correta.

O que fazemos na Magia da Poesia?

Este site é de pessoas apaixonadas por poesia e literatura. Logo, uma tentativa de resistência à difusão de falsas autorias e textos anônimos. Passamos a revisar todo o nosso conteúdo em vez de expandi-lo, colocando referências bibliográficas abaixo dos poemas.

Se concorda com esta campanha, participe! Compartilhe com seus amigos essas ideias.

*

Os Falsos Quintanas (“Um dia você aprende” e outros que não são de Quintana)

As pessoas me pediam muito a poesia “Um Dia” que a dupla de cantores sertanejos Bruno e Marrone declamava no início dos seus shows, que seria do Mario Quintana. Só que não é. Aliás, o próprio show se chama “Um dia” e vários jornais e sites divulgaram que foi inspirado num poema de Quintana com este título, mas nunca vi esse poema em livro nenhum dele e não é minimamente o seu estilo. Reparem como até mesmo cantores e jornais caem nisso, sem checar nada…

Seguem abaixo esse e outros poemas que não são de Quintana, mas circulam pela net como se fossem dele (“o segredo não é correr atrás das borboletas…”, “Deficiências”, “Felicidade Realista” e outros). Deixo bem destacado que cada texto não é de Quintana para evitar o COPIAR e COLAR apressado. Cada um dos textos abaixo é uma falsa autoria.

*

UM DIA (ou UM DIA DESCOBRIMOS…) – Autor Desconhecido – Não é de Mario Quintana! – Falsa Autoria

Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra é bobagem.

Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela….

Um dia nós percebemos que as mulheres tem instinto “caçador” e fazem qualquer homem sofrer…

Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável…

Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples…

Um dia percebemos que o comum não nos atrai…

Um dia saberemos que ser classificado como o “bonzinho” não é bom…

Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você…

Um dia saberemos a importância da frase: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas…”

Um dia percebemos que somos muito importantes para alguém, mas não damos valor a isso…

Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas aí já é tarde demais…

Enfim… um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas
que nos atraem, para dizer tudo o que tem que ser dito naquele momento.

Não existe hora certa para dizer o que sentimos se quem estiver te ouvindo não te compreender, não te merecer…

O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras…

Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação.

Autor Desconhecido – Não é de Mario Quintana! – Falsa Autoria

*

Aprenda a gostar de você… – Autor Desconhecido – Não é de Mario Quintana! – Falsa Autoria

Aprenda a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você…
Com o passar do tempo, nossas prioridades vão mudando…
A vida profissional, a monografia de final de curso, as contas a pagar.
Mas, uma coisa parece estar sempre presente. a busca pela felicidade.
Desde pequenos ficamos nos perguntando:
– Quando será que vai chegar?
E a cada nova paquera, vez ou outra, nos pegamos na dúvida:
– Será que é ele?
Como diz o meu pai:
– Nessa idade tudo é definitivo.
Pelo menos a gente achava que era.
Cada namorado era o novo homem da sua vida.
Faziam planos, escolhiam o nome dos filhos, o lugar da lua-de-mel e, de repente… plaft!
Como num passe de mágica ele desaparecia, fazendo criar mais expectativas a respeito do próximo.
Você percebe que cair na guerra quando se termina um namoro é muito natural, mas que já não dura mais de três meses.
Agora, você procura melhor e começa a ser mais seletiva.
Procura um cara formado, bem resolvido, inteligente, com aquele papo que a deixa sentada no bar o resto da noite.
Você procura por alguém que cuide de você quando está doente, que não reclame em trocar aquele churrasco dos amigos pelo aniversário da sua avó, que sorria de felicidade quando te olha, mesmo quando está de short, camiseta e chinelo.
A gente inventa um monte de desculpas esfarrapadas, mas continuamos com a procura incessante por uma pessoa legal, que nos complete e vice-versa.
Enquanto tivermos maquiagem e perfume, vamos à luta…
Mas, bom mesmo, é se divertir com as amigas (os), rir até doer a barriga, fazer aqueles passinhos bregas de antigamente.
Olhar para o teto, cantar bem alto aquela música que você adora.
Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela.
Percebe também que aquele cara (garota) que você ama (ou acha que ama), e que não quer nada com você, definitivamente não é o homem(mulher) da sua vida.
Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você.
O segredo é não correr atrás das borboletas…
É cuidar do jardim para que elas venham até você.
No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!

Autor Desconhecido – Não é de Mario Quintana! – Falsa Autoria

*

O TEMPO – Autor Desconhecido – Não é de Mario Quintana! – Falsa Autoria

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela.

Percebe também que aquele alguém que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente não é o alguém da sua vida. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você.

O segredo é não correr atrás das borboletas… é cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!

Autor Desconhecido – Não é de Mario Quintana! – Falsa Autoria

*

“Bendito quem inventou o belo truque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1º do mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas apenas recomeça…” Autor Desconhecido – Não é de Mario Quintana! – Falsa Autoria

*

AMOR É SÍNTESE – Autor Desconhecido – Não é de Mario Quintana! – Falsa Autoria

Por favor, não me analise
Não fique procurando cada ponto fraco meu.
Se ninguém resiste a uma análise profunda,
Quanto mais eu…

Ciumento, exigente, inseguro, carente
Todo cheio de marcas que a vida deixou
Vejo em cada grito de exigência
Um pedido de carência, um pedido de amor.

Amor é síntese
É uma integração de dados
Não há que tirar nem pôr
Não me corte em fatias
Ninguém consegue abraçar um pedaço
Me envolva todo em seus braços
E eu serei o perfeito amor.

Autor Desconhecido – Não é de Mario Quintana! – Falsa Autoria

*

Na solidão, na penumbra do amanhecer.
Via você na noite, nas estrelas, nos planetas,
nos mares, no brilho do sol e no anoitecer.

Via você no ontem, no hoje, no amanhã…
Mas não via você no momento.

Que saudade…

Autor Desconhecido – Não é de Mario Quintana! – Falsa Autoria

Falsas Autorias

  • Leia mais falsas autorias de Quintana no Wikiquote

Leia outros posts educativos

(post original de 22 de março de 2012)

 

Publicado por Fabio Rocha

Poeta, Terapeuta Holístico e Administrador de Empresas

117 comentários em “Falsas Autorias – Falsa Autoria – Autoria Errada – Autoria Trocada – Atribuição Trocada – Texto Apócrifo

  1. Você coloca um dos textos como se não fosse do Quintana e diz que a autoria é desconhecida, mas alteraram e cortaram um texto dele. Falo do seguinte:
    “Bendito quem inventou o belo truque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1º do mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas apenas recomeça…”

    O original tem o título “713.789” e está no livro “Da preguiça como Método de Trabalho”:

    “713.789

    O bom das segundas-feiras, do primeiro de cada mês e do Primeiro do Ano é que nos dão a ilusão de que a vida se renova… Que seria de nós se a folhinha estivesse marcando hoje o dia 713.789 da Era Cristã?”
    — Da Preguiça como Metodo de Trabalho

    Curtir

  2. O poema “O amor é síntese” (Por favor não me analise…) a partir de agora não é mais de autor desconhecido para você. É Mirthes Mathias, do livro “Bom dia amor!”, Juerp, 1990
    Conheci a autora, e tenho este livro. E já vi outros poemas dela erroneamente atribuidos a outros autores, só que agora não me recordo quais.

    Curtir

  3. Olá, boa tarde.

    Poderia me informar se as crônicas “A pessoa errada” e “Exigências da vida moderna” são de autoria do Luís Fernando Veríssimo?
    Até onde sei, não são mas preciso dessa informação e achei que você soubesse.

    Grata. Abraços.

    Curtir

  4. Parabéns pelo site! Está circulando nas redes, devido ao Dia das Mães, a mensagem abaixo, atribuída a Madre Teresa de Calcutá. Não achei nenhum lugar confiável que dissesse isso (em postagens antigas, há referência a autor desconhecido). Creio que é mais uma falsa autoria, você teria como ter uma informação mais confiável?

    “Ensinarás a voar …
    Mas não voarão o teu voo.
    Ensinarás a sonhar …
    Mas não sonharão o teu sonho.
    Ensinarás a viver…
    Mas não viverão a tua vida.
    Ensinarás a cantar …
    Mas não cantarão a tua canção.
    Ensinarás a pensar…
    Mas não pensarão como tu.
    Porém, saberás que cada vez que voem, sonhem, vivam, cantem e pensem…
    Estará a semente do caminho ensinado e aprendido!”

    Curtir

  5. Eis a verdadeira autoria:

    Amor é síntese

    Por favor, não me analise
    Não fique procurando
    cada ponto fraco meu
    Se ninguém resiste a uma análise
    profunda, quanto mais eu !
    Ciumenta, exigente, insegura, carente
    toda cheia de marcas que a vida deixou :
    Veja em cada exigência
    um grito de carência,
    um pedido de amor !

    Amor, amor é síntese,
    uma integração de dados:
    não há que tirar nem pôr.
    Não me corte em fatias,
    (ninguém abraça um pedaço),
    me envolva todo em seus braços
    E eu serei perfeita, amor!

    Mirthes Mathias
    In: Bom dia amor!

    Retificação: Recebi a informação que este poema que tem sido atribuido a Mário Quintana é na realidade de Mirthes Mathias In: Bom dia amor! Juerp,1990

    Curtir

  6. Bom Dia!
    “Tudo passa, só a arte robusta possui a eternidade.
    Theophile Gautier”

    Por gentileza um site de poetas… do período parnasiano da França, confiáveis e traduzidos. Muito grata

    Curtir

  7. A vida
    Atribuído a Mario Quintana

    Depois de muitas quedas, eu descobri que, às vezes, quando tudo dá errado acontecem coisas tão maravilhosas que jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo.
    Eu percebi que quando me amei de verdade pude compreender que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa. Então pude relaxar. Pude perceber que o sofrimento emocional é um sinal de que estou indo contra a minha verdade.
    Parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
    Comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma coisa ou alguém que ainda não está preparado, inclusive eu mesmo. Comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável. Isso quer dizer: pessoas, tarefas, crenças e qualquer coisa que me pusesse pra baixo….
    Minha razão chamou isso de egoísmo. Mas hoje eu sei que é AMOR-PRÓPRIO. Quando me amei de verdade deixei de temer meu tempo livre e desisti de fazer planos. Hoje faço o que acho certo e no meu próprio ritmo. Como isso é bom! Desisti de querer ter sempre razão, e com isso errei muito menos vezes. Desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro. Isso me mantém no presente, que é onde a vida acontece. Descobri que na vida a gente tem mais é que se jogar, porque os tombos são inevitáveis e a hora que a gente levanta ninguém segura. Percebi que a minha mente pode me atormentar e me decepcionar, mas quando eu a coloco a serviço do meu coração ela se torna uma grande e valiosa aliada. Também percebi que sem amor, sem carinho e sem verdadeiros amigos a vida é vazia e se torna amarga.
    Hoje eu só tenho encontro marcado com aquilo que me interessa.
    Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá a falência.
    Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
    Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história… É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.

    O estilo não guarda sintonia com a poesia de Quintana e palavras como relaxar, se jogar e a linha auto-ajuda não se coadunam com a escrita do poeta.

    Curtir

    1. Acredito que os trechos a seguir é de autoria do Dr. e escritor Augusto Cury:
      “a vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá a falência.”
      “Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
      Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história… É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.”
      Portanto, está óbvio o plágio com os textos.

      Curtir

    2. Denise, acho que deveria ser colocado o nome do autor, quando se descobre a falta autoria. Encontrei este texto e vi que não era o estilo do Mário Quintana, mas não sei quem é o verdadeiro autor. Pode me informar pelo meu e-mail? Obrigada.

      Curtir

    3. Li num blog e duvidei. Achei sua página. No FACE também “Afinal, quem é o autor?
      Acho que ao dizer que não é do autor tal…. deveria se mencionar a verdadeira autoria para a gente argumentar.
      Gostei de sua página. Eu costumo conferir quando tenho o livro! Parabéns. Gostaria muito de saber a verdadeira autoria.

      Curtir

  8. Seu trabalho, Fábio, é de um importância sem igual. Não sei onde vamos chegar. As pessoas não costumam ler o livro físico nem procuram sites seguros e começam a repassarem textos com falsas autorias. E os outros vão acreditando e vamos vivendo uma falsa literatura virtual .

    Curtir

  9. O poema menestrel que aparece na internet é de autoria de Shakespeare?
    Achei estranho.
    Fui pesquisar e só encontrei várias pessoas declamando e citando a mesma autoria.
    Se vc puder tirar minha dúvida, fico grata. Se for falsa a autoria, Shakespeare, também.

    Curtir

  10. UM SIMPLES E INCONFORMADO COMENTÁRIO

    Aceito todas as justificações. Porém, quem edita qualquer coisa de alguém, que não conheça, estará sempre em risco. Não tenho por hábito o fazer.

    A questão que aqui estou a colocar é assim:

    a) Existem pessoas que colocam artigos, poemas ou outras sem colocarem os nomes dos autores. Por vezes dá “jeito”! Basta ler os comentários: Bom artigo! Belo poema etc. Pior! Não dizem que as obras não lhes pertencem.
    b) Face ao que atrás afirmo, e falando no meu caso, basta colocar autor desconhecido, ou nada, para quem goste do poema o divulgue da mesma forma ou até o assine.
    c) Pior é o plágio! Aqui existem variadíssimas formas de o fazerem. 1.º Mudando o nome do autor e “roubando” os trabalhos dos outros. 2º Alterando o título pensando que deste modo não são apanhados. 3.º Alterando parte do poema, isto é, assassinando o poema.
    d) Depois existem os sites de grupos. Ainda ontem encontrei mais de 10 poemas meus sem nome do autor e colocados como sendo de alguém que assina como …. Neste caso, como em outros tenho denunciado, bloquearam o copista. Colocar poemas, ou artigos, que antes de o fazerem se deveriam certificar se eram dessa pessoa, ou anónimos, é um erro que conduz ao “boato” e à pirataria.
    e) Não citar a fonte nem o nome do autor é como alguém assumisse a autoria do poema, pois, até, os anónimos estão protegidos por Lei e podem processar alguém exigindo direitos de autor.
    f) Finalizo agradecendo ao autor deste trabalho por ter colocado aqui tão importante matéria. Ninguém gosta de ser plagiado e ou não identificado o autor. Acrescento que só no Facebook e nestes últimos 3 meses já fui encontrar mais de mil situações já referidas. A solução será a de participar para o FB para apagarem. Quero entretanto informar que já segui as sugestões de muitos que não identificaram os meus poemas, tendo previamente informado e provado que o poema era meu. Sabem o que me fizeram: participaram de mim colocando “SPAM” e continuaram a não identificar o autor.
    Cumprimentos
    Rogério Martins Simões

    Curtir

  11. Bom dia!
    Se um poema, que nunca foi publicado, é lançado na internet atribuído a um autor – que não é o autor do poema e que também não se acha sua pessoa para questionar – como pode-se fazer para requerer sua verdadeira autoria, vc sabe?
    Obrigada

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: