Lêdo Ivo

O BRANCO HOTEL – Lêdo Ivo

Em cada cidade um cemitério
um túmulo para cada residência
um morto exclusivamente para o pranto de dois olhos.

Hoje é o dia dos desacordados, dos sonâmbulos e dos fantásticos.

Tenho um irmão num cemitério,
fora um que tinha o meu nome.

Tenho uma namorada num cemitério.

São os hóspedes de um branco hotel
que perturba as floristas.

(Lêdo Ivo)
(UMA LIRA DOS VINTE ANOS, Rio de Janeiro: Livraria São José, 1962)

Leia outros poetas sem erros

6 respostas

  1. Só isso? Com uma vasta produção literária que este grande poeta tem, poderia colocar mais poemas dele. Por favor coloquem mais poemas de Ledo Ivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *