concurso literário tororó das couves

concurso literário tororó das couves

couve

este certame visa a expansão da consciência
da importância
e da impotência
das couves

o ineditismo literário
é temerário
arbitrário
mas imprescindível

podem inscrever-se escritores ambidestros
de ambos os sexos
que desenhem com as duas mãos nas quintas-feiras
e leiam e releiam este regulamente oito vezes
pagando a taxa irrisória de um milhão de reais
para cobrir os custos de digitação do abecedário glorioso
e dos troféus e medalhas de honra ao soldado desconhecido
que serão entregues aos egos competitivos vencedores
em cerimônia solene e iluminada
no salão nobre da casa da mãe Joana
na rua das couves, 666
em data a ser definida num dia indefinido
quando do festival das couves

a banca julgadora será constituída por ilustre marceneiro anônimo
composta de mogno
firme e sólida
sobre a qual serão performados sacrifícios ritualísticos de couves
para alimentar as massas

(os competidores que morem na cidade das couves estão, desde já, agraciados com o prêmio maior: a couve sagrada)

para inscrever-se, o autor deve ser inédito e insone
não ter livro publicado, namorada, filho ou árvore plantada
gostar de quiabo e couve
e nunca jamais pode ter dançado com o demônio sob luz do luar

o tema obrigatório são as couves
suas cores
seus sabores
seus movimentos ao vento…

os trabalhos devem ser enviados num envelope menor lacrado de papel pardo com codinome secreto
dentro de outro envelope menor lacrado de papel pardo com outro codinome secreto
dentro de outro envelope menor lacrado de papel pardo com outro codinome secreto que não se refira a couves
dentro de uma caixa enorme enviada via carta registrada com carimbo da Dinamarca e sem quaisquer identificações
acompanhando um cd e um pendrive e um iPad com o texto digitado com codinome secreto
(o nome verdadeiro do codinome deve ser enviado por telégrafo ou sinal de fumaça)

é imprescindível o uso de letras corpo violão 12, folha A3 dobrada 12 vezes, espaço 1,575 (estrelinhas) e fonte Times ou Arial ou couves

os vencedores receberão o título de vencedores
os perdedores receberão a missão de invejar os vencedores
que terão seus textos em prosa ou poesia publicados
(num livro inédito que venderá a amigos contrariados)
com o propósito de não poder mais participar de concursos literários como esse
que exigem o ineditismo

o prazo limite para o envio das caixas com envelopes e equipamentos é o de ontem
(se não chover e estragar a horta)

os casos omissos no presente regulamento ficarão omissos
enterrados no fundo da terra
(como a raiz das couves)

7 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *