medito logo não existo

imaginagens

nada fora do presente
cada parte do corpo desaba muros
rui brilho
e rio em águas invisíveis

sem boca

acaricio
o planeta
que sou

sem querer

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *