as ombros

em cima é embaixo
os sombros doem o mundo
sombra do que nunca é
dor que é sempre
o destino decide-se indeciso
nunca serei o que queria ser
menos ainda o que sou
sem soul
nem blues
tango em Paris que não fui
tanto em que fui e odiei
a casa que alenta e prende
lento, o sono não vem
rápido, o sono falta
quem casa?

já que acredito em tudo
tal qual meu avô,
dos ventos dos 4 cantos
devolvo-lhe a magia recebida
pela palavra atirada que dobra
tudo que foi desejado

eu checo o freio de mão mas não arranco dentes com amor
odeio quem amo mas não tive filhos

tenho mulher e plrrrr
não tenho mulher e plrrrr

tenho emprego e plrrr
não tenho emprego e plrrr

medito e plrrr
não medito e plrrr plrrr

5 anos de engenharia
5 anos de análise
4 de filosofia e
plrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

3 anos
2 anos
1 ano

ignição

(para onde?)

*

*

*

para a constância só há um meio:
não querer nem a meia-constância

a palavra final é mais importante:

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *