assédio

rumino um poema
para que não borbulhe

(lava leva a leve calma)

rumino um silêncio
para que não pense
a Palavra

o corpo quente
pra não ceder à sede

o gosto líquido
sem tocar a água

assédio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *