confusão mental e ansiedade

pec pec pec

a pressa do próximo
atrapalha o presente

resultado rápido:
um poema atropelado

confusao-mental-e-ansiedade

Uma resposta

  1. o toque do aflito me faz poema
    o próximo lê
    o outro rasga e bota fora

    eu queimo e deixo que as cinzas voem
    até a água regar as flores
    pra quê a pressa?
    tirar as roupas é o que nos resta…

    toc toc
    alguém na porta
    a janela, quem sabe é a cama
    esconta-se com as roupas que atirei no armário
    ou voe feito as cartas dos que já passaram

    mas nunca, nem mesmo sempre se atravesse na minha frente
    cantando qual seja a música
    bordando que seja plano
    ausente eu não reclamo

    declamo ajoelhada
    versos vazios que vieram do nada
    sentada eu já sossego
    atropelando a calma que me acalenta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *