quatro e meia

as mandíbulas travadas de frio
rangem dores leves e constantes
de todo o edifício do corpo que envelhece
e rui aos poucos
(risos na platéia)

saio da cama quase quente como quem morre

escorre de minha meia meditação
(de meia hora)
um meio
trôpego
de abrir o dia
ao nada

quatro-e-meia

4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *