“Precisa-se” – Clarice Lispector

“Precisa-se”

Sendo este um jornal por excelência, e por excelência dos precisa-se e oferece-se, vou pôr um anúncio em negrito: precisa-se de alguém homem ou mulher que ajude uma pessoa a ficar contente porque esta está tão contente que não pode ficar sozinha com a alegria, e precisa reparti-la. Paga-se extraordinariamente bem: minuto por minuto paga-se com a própria alegria. É urgente pois a alegria dessa pessoa é fugaz como estrelas cadentes, que até parece que só se as viu depois que tombaram; precisa-se urgente antes da noite cair porque a noite é muito perigosa e nenhuma ajuda é possível e fica tarde demais. Essa pessoa que atenda ao anúncio só tem folga depois que passa o horror do domingo que fere. Não faz mal que venha uma pessoa triste porque a alegria que se dá é tão grande que se tem que a repartir antes que se transforme em drama. Implora-se também que venha, implora-se com a humildade da alegria-sem-motivo. Em troca oferece-se também uma casa com todas as luzes acesas como numa festa de bailarinos. Dá-se o direito de dispor da copa e da cozinha, e da sala de estar. P.S. Não se precisa de prática. E se pede desculpa por estar num anúncio a dilacerar os outros. Mas juro que há em meu rosto sério uma alegria até mesmo divina para dar.

Clarice Lispector )
(A Descoberta do mundo: crônicas – Página 209)

(Seleção de Fabio Rocha)

precisa-se
“Precisa-se”
Leia mais Clarice Lispector

Conheça Também:

11 respostas

  1. Tudo que Clarice Lispector escreveu me cai fundo na alma. Clarice não escreveu poemas, no entanto, a poesia está inserida em sua prosa: contos, romances. Ela mesma, diz-se escritora e, não, poeta. O essencial poético está em sua produção literária. Admiro imensamente sua obra.
    O que me entristece é o DESCASO com a POESIA. Tantos e tantos
    poemas, citações referendando-lhe falsa autoria. Isso é lamentável. Clarice está fragmentada pela internet !!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Pingback: Em Busca de um Mágico | Itinerário Poético
  3. Para perpetuar a Poesia é fundamental que a apreciemos e de que forma podemos fazer isso: Antes de tudo e de qualquer coisa amando a poesia; depois, como no meu caso, adotando em sala de aula para apreciação da poesia em si e depois analisando a essência e beleza das palavras em toda sua existência. Faço isso em sala e como os pensamentos da Clarice não são tão fáceis para alunos de Ensino Fundamental chegarem de imediato a uma interpretação daquilo que ela quer passar, uso-os, levando-os a uma série de questionamentos até que chegam lá. Amo tudo que ela fez e tudo que até aqui tive a possibilidade de conhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *