todos nós somos

todos nós somos

o morno bom
afeto
o retorno ao redondo

paz

mas

a bolsa levantando o lado do vestido
a camisa que sobe adivinhando o umbigo

o primeiro olhar do tigre
para a primeira presa

mas

cavalos presos
somos todos nós

a vontade de tocar os enfeites de Natal
apenas por não poder tocar os enfeites de Natal

então os cavalos soltos
somos
além da planície, do céu e do beco

cavalo-asas-pegaso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *