poema a duas mãos

poema a duas mãos

do riso bobo
do colo quente
da implicância infinda
de um mundo inteiro ausente
brotou um sorriso na tarde cinza

(Fabio Rocha e Rebeca dos Anjos)

nas nuvens

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *