Outono

Outono

ou to no ar
ou to no mar:
terra é pra folha morta

outono

“Nossa existência é transitória como as nuvens do outono. Observar o nascimento e a morte dos seres é como olhar os momentos da dança. A duração da vida é como o brilho de um relâmpago no céu, tal como uma torrente que se precipita montanha abaixo.” (Buda)

Nas imagens da janela
ventos novos
e os ecos inseguros de outras vozes
timbres e entonações passando ao largo
presenças apressadas
se distanciam
cenários desenhados
constelação de outras vidas
nos condomínios do outono. (Dade Amorim)

“Nenhuma beleza primaveril ou de verão tem tanta graça como vi em uma face outonal.”  (John Donne)

(Original em Inglês: No spring, nor summer beauty hath such grace As I have seen in one autumnal face, “The Autummal” in “Poems of John Donne”, Volume 1‎ – Página 117, John Donne – Lawrence & Bullen, 1896.)

7 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *