As cinco pessoas que você encontra no céu

era antigo o rádio
a porta com ferradura atrás
o cheiro de água raz…

eu esperava
o sabiá
vir beber sua fruta cor
plantada aberta na terra

eu esperava
ouvindo músicas antigas
e era leve
com ou sem pássaro

na minha infância
(antiga, tão antiga…)
esperando eu moldava a paz
que hoje me visita

 

OBS.: Poema inspirado na minha infância no quintal da casa de minha avó, para onde voltei ao ver o filme “As cinco pessoas que você encontra no céu”.

7 respostas

  1. A sua poesia, tão coincidente, me levou de volta a casa dos meus avós:a cadeira de balanço na frente ao rádio, a estante repleta de livros, que ele lia para para eu ouvir…Perdida no sons das palavras que nem sempre entendia, aprendi a ler!No quintal, todas as fruteiras e pássaros do Norte…Sabiá, de longe o meu preferido, apesar da grande disputa dos bem-te-vis e sanhaçus, estes últimos, tanto azuis quanto verdes…Viajei pelo país da infância.Obrigado1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *