Fim da parceria com o Submarino e um poema ( No Caminho, com Maiakóvski )

Fim da parceria com o Submarino e um poema

Hoje termino uma parceria de vários anos com o Submarino. Após alguns escândalos, já fiquei com receio de manter essa parceria queima-filme (apesar de comigo sempre terem entregado direito). Então, tentei comprar uns livros pelos banners do Submarino em meu site e, apesar de mais um milagre de terem entregado sem problemas, não fui comissionado, como se não tivesse existido a compra pelo meu site dos tais livros (que eu mesmo fiz!). Apesar de vários e-mails, não recebi resposta. E apesar de falar com um atendente (que nem sabia o que era o programa de afiliados), não consegui resolver ou entender nada. Chega! Tento não imaginar o quanto me roubaram em comissões esses anos… E me focar em seguir tentando melhorar o site e suas parcerias.

No Caminho, com Maiakóvski

(trecho do poema de Eduardo Alves da Costa)

(…)

Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem:
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.

(…)

OBS.: Depois dessa postagem ainda teve mais absurdos do Submarino. Resolvi fazer um post comentando toda a minha experiência com programas de afilados no brasil e o Google Adsense.

OBS.2: Esse poema não é de Maiakóvski, mas de Eduardo. Trata-se de mais uma falsa autoria circulando na internet.

3 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *