ELA FAZ COMIDA, EU JOGO FORA O LIXO

(enquanto o incensário nada diz)

reembolso ventos
pelos poros de muros furados
catracas estalando longínquas

a palavra, porém
escorre pelas frestas
que sempre há festas
e eu distante

a palavra

no meio do alto
embaixo de tudo
no céu e no sol

2 respostas

  1. A palavra mais forte do que muros e catracas simplesmente porque flui – e sem que seja necessário o extraordinário numa leve manhã de domingo.O incensário nada diz: fumaça finita não é palavra.Um poema maravilhoso. Inspira arte dentro de quem ganha tempo meditando sobre cada palavra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *