WHEN

todos os loucos do mundo
me perseguem
se balançam
me acenam descontrolados
com olhos traídos:
não mora mais em mim
a leveza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *