GALOPE NÚMERO 910

quando a vida empaca 

o poema se solta 
cavalo de sol 
clave cruzando mares congelados 
de palavras não ditas 
beijos não dados 
derretendo sal e pele 
sul e norte 
vida e morte 
na mais bela harmonia 

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *