REPITO: REPITO

o trem passou no início do filme. coloco o sorvete gelado sobre o coração e paro. pause. não a conhecia. nunca a conheci. cagou-se tudo a tempo de não conhecê-la. o mais chato agora é esse fim prolongado, esbarrar em foto, em site, em música, em sombra de vontade. tinha tudo pra dar errado mesmo, mas deu certo por um feriado. ao menos o mar continua lá, logo ali do lado.

2 respostas

  1. Deus!! Que poemas esses teus!!Reconheço essas letras…há tanto que eu escreveria assim, se tivesse coragem de ler depois sem doer mais…Palavras deliciosamente cheias de concretudes simples e profundas. ADORO ler você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *