DE QUANDO NÃO HÁ MAIS CELEBRAÇÃO

um mês
se acaba num dia
se a poesia
desbotar na chuva
sem braços a torcer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *