TURISTA DE MIM MESMO

49642 arvorenocrepusculo 798121

vejo o belo com nitidez surpreendente 

apuradamente 
sem moderação 
as costelas do dragão brancas 
passando ao vento 
atrás da árvore que dança 
com tantas folhas 
tantas pequenas folhas puras  
que não caberiam em mil retratos ou pinturas… 
ah, as frestas tênues da acenante copa 
por onde trespassam 
os últimos feixes de luz rósea…
mil estrelas bailarinas!  
quem não vê o sagrado 
nessa árvore que dança 
por detrás do mistério  
não o verá jamais 

3 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *