CREC

o poema está mudo. 

cante a catraca 
na garganta… 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *