5 poemas de uma noite meio insone…

2010
olho o ano que passou:
tanta quantidade
tanta intensidade
tanta velocidade
tudo aparentemente melhor
mas não me reconheço
minimamente
olho o ano que passou
e procuro por mim

KOWABUNGA

a normalidade não nos basta

somos extraterrestres terrestres intraterrenos
(dentro do fundo do mundo, fundo fundo, fundo…)
nenhum amor
luz
tartaruga mutante adolescente ninja
ou deus
pode nos salvar
SOLTA
a poesia é uma exploração de minha loucura
MÃE, PAI
se eu tivesse
a capacidade
de ter orgulho
eu teria orgulho
é de ser poeta
PQP
o ano se acaba mas não se acaba dezembro

3 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *