BRANQUINHOS

Os seios da poesia
(Maravilhas macias)
São vastos
Amor-róseos 
Querem explodir
A camisa furta-cor
Que só sabe oprimir. 

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *