BOM DIA, OSHO

acordar às dez
encher o pão de mortadela e manteiga
esvaziar a mente

dissolver no iogurte
os problemas que não há
e se houver
não resolver

10 respostas

  1. Fábio, posso ver-me sentada à mesa, entre desesperar e esperar, enlouquecer e resolver, em situações que não cabem respostas.Sem saída! Fazer o quê? Nem sempre um novo dia traz a solução. A escolha continua sendo nossa, mas as alternativas não estão visíveis. Resta eu comigo, você com você, um diálogo cruel: "Se o inesperado chegar e, inevitavelmente, algo nos for tomado para sempre, o que escolhemos perder? O que estimamos? O que temos? Do que precisamos? O que nos urge obter? Quem (o quê) nos mantém vivos"? Responder a si mesmo exige silêncio à boca, um bom café da manhã soterrando a angústia e um encontro íntimo com auto-conhecimento.Pão mordido… ainda becos sem saída. Uma imagem e tanto a que você pintou – poderia ser uma manhã amena, preguiçosa; poderia ser um dia D…oído!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *