CONCLAMO

levantem-se, poetas!

marchemos sobre o concreto
com a leveza do silêncio…

a hora é agora
a hora é sempre
a hora é sempre agora

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *