REVISITANDO UM VERSO ANTIGO

REVISITANDO UM VERSO ANTIGO

Já caminhei pela religião
pela filosofia
pela psicologia
pela simbologia
pela astrologia
pela radiestesia
pela quiromancia
pela ufologia…

Já caminhei pelo amor morno
pela paixão quente
pelo sentir descontrolado
pelo controle da razão…

Me perdi inteiro e cansado
um barco antigo num mar gelado
sem direção ou horizonte.

Quando parei
eu me encontrei.

***

OBS: O poema das antigas completo, que me percebi cantando nesta manhã cheia
de Osho, era algo assim (não achei em lugar nenhum ele, nem lembro mais o
título, deve ter mais de 10 anos, só lembro do poema em si por ele ter sido
musicado por um amigo…):

Eu caminhei
Sem te encontrar
E assim segui
Pelo caminho a procurar
Eu me cansei
Mas não desisti

Minha vontade
A me guiar
Com toda pressa
Queria chegar

Quando parei
Eu me encontrei
O vento senti
Em minha face iluminada
E percebi
Que não importa a chegada

Basta viver
O entardecer
Sem apressar
Noite ou luar
Seja você

5 respostas

  1. O seu poema antigo é maravilhoso! Acho que o tenho pra postar no meu BLOG!Mas… o mais fascinante é este trecho:"Quando pareieu me encontrei." Nem preciso dizer mais nada porque isso é TUDO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *