ÚLTIMO PASSO

sim, poetas têm muita imaginação…
(o problema ou a solução?)
por isso criam
(e conquistam)

chega da coisa adiada:
abram as cortinas
desçam as canetas
subam as espadas

pois muito bem
não havia quase facas
nas mãos para trás dessa dança
quase
(sempre há facas quando afagas)

não era o momento errado
não era o tempo errado
não era o vento errado
era a pessoa errada
(sempre é a pessoa, não os detalhes)

você não lê
e não é Ela
(não há Ela?)

mas dançamos
dançamos bem até
enquanto éramos música

houve uma dança ao menos
quando eu quis o impossível
consegui o improvável
e acordei com o insuficiente
(cabeças ao alto!)

bla bla bla

clap clap clap

fechem as cortinas
fechem as cortinas

a poesia da coisa jaz aqui
mas
a poesia é a coisa que me faz
a Poesia é o que amo mais
(e você não lê)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=ry_uYl0i57Y&hl=pt_BR&fs=1&&w=640&h=385]

6 respostas

  1. Se o coração se esfria, lá o amor poesia se revelae oceanos se partirãoao sussurro do chamadocom a profundidade do universo,as palavras que se escreve em doçuraque declamam os sentidos. Quando se abre zelosamente os olhospara a obra de mãos observando o céu em noites,que entende e prende em braços.E se está cego pro caminholá de dentro, o que se habitaorará intimidadee mudará a mente.Abraços.Priscila Cáliga

  2. Até no último passo, da última música, vc soube dançar como um cavalheiro. Você foi além…mostrou o que muitos não têm. Que o AMOR está em você e não em outrem! Palmas pra você, POETA!……………..Aguardo lindas e novas "poesias",que é o que você sabe fazer DEMAIS!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *