A GRIPE É BRANCA

assoei uma poesia
no vento de papel:
sussurraram margaridas
nas nuvens do céu

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *