Publicando poemas antigos rascunhados – parte 1

Se a poesia é o que mais importa, chega de censura…

DECAÍDA

foda-se a queda
a dor
a morte
não era um jogo
era a vida
e tive a sorte
de tocar o teto do céu

PLEASE MR. POSTMAN

O muro é duro, cabe dizer, porém…

É dose pra dromedário…

(O bocejo é a véspera do escárnio?)

Machado,
quantos malditos spams
convites para imbecilidades formais
enganos no celular
mensagenzinhas animadas no orkut falando que Jesus me ama
não são ela?

silêncios
(como os da rua de Matacavalos)
podem adiantar meu sono invindouro?

(Dorme, cavalo!)

LEVANTA!

95ea9

Levanta, Shiryu
caminha contra o vento
caminha pro abismo
caminha contra o mantra
que te atrai e te espanta
já não há mais armadura ou lança
totalmente revelado
segue pro destino
com a mais impossível
a mais cósmica esperança.

Pois seu peito se espreme
e seu corpo se quebra
e sua carne se corta
mas seu dom se expande
rumo ao sétimo sentido
levanta e caminha para a morte
sorrindo:
seus passos no papel
serão lindos.

3 LEIS UNIVERSAIS

as paixões não se cruzam no tempo
quem com ferro fere com ferro será ferreiro
devagar se chega tarde

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *