ROSAS E SONHOS

(Para Cartola)

mulher que olha pro outro lado
pele de papel sedoso e porvir
a sorrir
fantasia que fantasio em detalhes imbecilmente românticos
(talvez justamente por olhares pro outro lado)
caminhos a percorrer
versos a escrever
esquinas curvas de prazer e criar
é cedo
é cedo?
(cedo: nunca é cedo ou tarde se por acaso for…)
só sei que você é agora
um agora tão rente que tudo mais parece fora,
caminhos sem vida,
e querida é a palavra mais querida, querida
(bate outra vez com esperanças o meu coração)
oh, minha romântica senhora tentação
olha o céu
o sol nascerá
olha o papel
(alvorada, que beleza)
o papel é obviamente seu
vem aqui, dá a mão, deita aqui
vive o momento assim mesmo assim, que
o mundo é um moinho
o mundo é um moinho
presta atenção:
não há nada lá fora
além da alegria de nós dois agora

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *