AFETOS, PATHOS, O EXCESSO QUE ADOECE

Vai
escreve teu grito
que continuas vivo
e cabendo num ser humano
sob a égide da ciência
de ser humano
limitado neste eu sempre reinventado
neste quarto fechado
dentro de um país
no interior de um estado federativo
preso no município
e neste sorriso aramado
sob um mundo imprevisível
e trágico.

4 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *