ADRIANE

Minha língua
toca o céu
para falar
o seu nome.

6 respostas

  1. Ah, Adriane's, há homens tocando suas línguas até o céu. Não percebem que seu nome é grito em pele? E estes cantam quando pronunciam seu tão desejoso nome em soletramento. A-D-R-I-A-N-E-'s!—A curva dos teus olhosdá a volta ao meu peitoÉ uma dança de roda e de doçura.Berço noturno e auréola do tempo,Se já não sei tudo o que viviÉ que os teus olhos não me viram sempre.Folhas do dia e musgos do orvalho,Hastes de brisas, sorrisos de perfume,Asas de luz cobrindo o mundo inteiro,Barcos de céu e barcos do mar,Caçadores dos sons e nascentes das cores.Perfume esparso de um manancial de aurorasAbandonado sobre a palha dos astros,Como o dia depende da inocênciaO mundo inteiro depende dos teus olhosE todo o meu sangue corre no teu olhar.Éluard, Paul (1895- 1952)Abraços ave rara,Priscila Cáliga

  2. Fabio, homem que jorra vinho em dedos. Lindo, ah, como é lindo! Sou remetida de que lindo é o olhar que é vencido pelo indizível e palavras declaram nudez. Encontro das mãos, grito submerso nos lençóis que exalam fragrância. Noentardecer na praia, em delícia e espreguiçados, as retinas filtram a luz que sobra do dia. E se bebe o saberas, mesmo que a cegueira tente nos saquear, porque no abrir da porta está uma embriaguez perfeita.Paz, agora vou indo e obrigada pela delícia de cantinho que é o teu.Priscila Cáliga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *