NÃO ME RECONHEÇO MAIS: ÓTIMO!

Antes do fim da música. Antes do fim da tarde. As palavras brotam intensidade na vida que se acalma. Se acalma lenta, suave, deixando vir quem tem que vir e ir quem tem que ir. As palavras borbulham em ritmo de festa. Eu só comigo mesmo e não é uma bosta. E me basta. E não sou budista ainda. Brinco com palavras e pérolas. Comigo mesmo. Brinco e conto minhas histórias assim – para mim. Conquistas. Nada é questão de vida ou morte. Eu tiro a vida pra dançar e ela sorri. A morte que venha quando quiser. Eu danço no breve espaço entre os agoras. Ágora é um bom filme. Não vou falar de deus. O mar ronrona verde. O sol enorme. Tudo máximo entretanto leve. Almoço com meus pais em paz. Ainda é cedo pra deixar de celebrar. Vou escovar os dentes.

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *