DA CHEGADA: PARTIR

Caminho,
ah meus eus,
caminho leve
f-i-n-a-l-m-e-n-t-e.

Olho as feridas todas
sem sangue
as cordas atrás do tubarão
arrebentadas
as minhas grandes mãos
abertas…

Afirmo-as.

Caminho leve
e caminharia
tudo de novo
como ser que sai do ovo
e roça de leve a asa
na esfera de cem toneladas
a cada cem anos
até gastá-la toda
suave
como a eternidade…

Olhos as bicicletas
pintadas sob meus pés
e toca a música do E.T.
e me arrepio ao sol
e vou
e vôo.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=BYrgHuV9rAE&hl=pt_BR&fs=1&&w=480&h=385]

12 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *